Confira os produtos Jäger Shop

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

A BATALHA DE MONTE CASSINO

Há exatos 74 anos, dava-se início a Batalha de Monte Cassino. Durante a campanha italiana, os aliados tentaram impedir que alemães e italianos utilizassem de uma série de fortificações, construída de costa a costa desde o Rio Garigliano desaguando no Mar Tirreno, a oeste, através dos Apeninos até a foz do Rio Sangro na costa do Mar Adriático, a leste.  Durante os combates pela região fortificada, destaca-se a sangrenta batalha ocorrida em Cassino.

Soldado paraquedista alemão em posto de observação, avistando
todo o vale de Monte Cassino

A geografia italiana impunha obstáculos naturais que impediam o avanço de tropas. Aproveitando-se disso, a Itália Fascista, em parceria com o governo alemão, em especial com as Organizações Todt, construíram a Linha de Inverno. O primeiro setor era chamado de “Linha Gustav”, organizado ao sul de Roma, num ponto elevado, que dava a vantagem para os que ali estavam. Essa era a ultima defesa nazi-fascista contra o avanço aliado pela capital. A fortaleza era guarnecida por pelo menos 15 divisões da Wehrmacht, sob o comando do General Albert Kesselring e possuía uma única fraqueza expressiva, que eram os ataques anfíbios, porém os alemães não cogitaram isso como possível, por causa do inverno. No ponto mais alto, encontrava-se a Abadia de Monte Cassino, onde encontravam-se aquarteladas pelo menos 03 divisões de infantaria e duas divisões blindadas da Wehrmacht.
Foram realizadas quatro investidas, tendo a primeira iniciado em 17 de janeiro de 1944, quando duas divisões do X Corpo de Exército Britânico atacaram as posições inimigas, porém sem nenhum sucesso, sofrendo inúmeras baixas, ocasionadas pela artilharia alemã e pelos intensos ataques da XIV Panzer Corps. Enquanto isso, as forças argelinas e marroquinas atacavam as posições da 5ª Divisão de Infantaria de Montanha Alemã, conseguindo segurar os ataques por uma semana, depois disso tiveram que recuar no dia 31 de janeiro. Seguindo no dia 22, os aliados atracaram em Anzio, nas proximidades da Linha Adolf Hitler, com o intuito de atacar a retaguarda alemã, enfrentando forte resistência. Depois de vários planos e tentativas, os aliados optaram por bombardear a Abadia de Monte Cassino, com a única intenção de desativar o prédio que estava sendo usado como posto de observação. E assim foi feito. No dia 15 de fevereiro, os bombardeiros B-17 e B-26 passaram por sobre a abadia, realizando 3 investidas, que começaram às 09h28 contando com aproximadamente 220 aviões. Além do ataque aéreo, as artilharias terrestres abriram fogo contra o prédio com suas armas de 250mm. Dizem que apenas uma parede ficou de pé. Um fato interessante é que depois de todo esse bombardeio na abadia, fora descoberto que ninguém estava lá, os alemães só se posicionaram lá após os bombardeios, nos escombros.

Soldados alemães capturados por tropas britânicas

Depois de incontáveis investidas, eis que no dia 18 de maio, Monte Cassino passa, enfim, para o controle aliado. O 2º Corpo Polonês travou uma batalha de 07 dias para, no dia 18, conseguir controlar a abadia. Agora eles podiam seguir rumo a Roma. Oitocentos e sessenta soldados poloneses morreram e 2.800 ficaram feridos. Os poloneses hastearam sua bandeira no meio dos destroços da abadia. Conseguindo controlar a região de Cassino, os aliados logo se aprontaram para seguir em direção ao seu objetivo. Agora, as forças aliadas estacionadas em Anzio conseguiriam avançar, e no dia 23 de maio efetuaram um ataque por detrás da linha Gustav, num esforço conjunto entre as forças francesas e britânicas. 
Destroços de Monte Cassino após a batalha
Com isso, os alemães são forçados a recuar, passando a defender a partir de Anzio, na tentativa de conter o abastecimento aliado pelo mar. Todavia, mais um fracasso recaiu sobre os alemães, que recuariam mais até ficarem apenas na defesa de Roma, que viria a cair em 04 de junho de 1944. 


Postado por Diego Saviatto

Segunda Grande Guerra