Confira os produtos Jäger Shop

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Operação Market Garden

    No Verão de 1944, as forças Aliadas conquistaram uma grande vitória sobre a Wehrmacht na Normandia, entre os meses de junho, julho e agosto de 1944 a Alemanha tinha perdido no Ocidente uns 400.000 soldados entre mortos, feridos e prisioneiros, praticamente o material de dois exércitos alemães foram destruídos ou capturados.
   No início de setembro de 1944 os Aliados Ocidentais em virtude das perdas alemães, deslumbraram uma chance de terminar a guerra ainda em 1944, com os russos avançando pelos Balcãs e pela Polônia, o Alto Comando Aliado acreditavam que a Alemanha estava à beira da exaustão e do colapso.


Aviões pertencentes a Força Aérea dos Estados Unidos, prestes a lançar tropas paraquedistas sobre os campos da Holanda, em setembro de 1944

    O Comandante do 21°Grupo de Exército o Marechal Bernard Montgomery elaborou um plano para flanquear a Linha Siegfried atravessando o Reno pela a Holanda e com isso invadir a Alemanha pelo norte. O comandante britânico acreditava que se a operação fosse bem sucedida a guerra terminaria antes do Natal.
    O plano de Montgomery era bem audacioso e visava a conquista de importantes pontes em Eindoven, Nijmegen e Arnhem, o Corpo Aerotransportado Aliado formados pelas 82° e 101° aerotransportada americana, a 1°Divisão aerotransportada britânica e uma brigada pára-quedista polonesa. O apoio terrestre seria dado pelo afamado XXX° Corpo Britânico do General Sir Brian Horrocks que romperia as linhas alemãs no Canal Alberto em direção do Reno em Arnhem. Essa operação aerotransportada seria ainda maior do que a do Dia D, com 30.000 homens aerotransportados.
    As forças alemãs em setembro de 1944 estavam em franca retirada para as fronteiras da pátria, o General Walter Model que assumiu o comando no Ocidente tentava dar ordem ao caos que se tinha instalado nas fileiras alemãs.
Devido às dificuldades de abastecimento e a definição de um eixo de ataque, as forças Aliadas diminuíram o ritmo do avanço, a maioria dos portos da Mancha ainda estavam ocupadas pelos alemães e o abastecimento ainda provinha dos portos artificiais da Normandia. 
    Com a diminuição do avanço Aliado, aconteceu o “milagre” das forças alemãs no Ocidente, que com grande determinação, habilidade militar e organização conseguiram criar uma tênue linha de defesa ao norte da Belgica, nas Ardenas e no Mosa. O General Kurt Student no comando do 1° Exército Pára-quedista improvisou uma linha de defesa no Canal Alberto com os restos das unidades que se retiravam da França, encorpadas com unidades pára-quedistas recém enviadas da Alemanha.


Soldados alemães pertencentes a 9ª Divisão Panzer SS Hohenstaufen, vasculham a cidade de Arnhem, em busca de "Airbournes", juntamente com um blindado StuG III pertencente ao Sturmgeschützbrigade 280

    Na Holanda o General Model ordenou a reorganização das unidades das Waffen-SS entre as quais o 2° Corpo Panzer-SS na região de Arnhem. A simples presença dessas duas aguerridas unidades panzers no principal objetivo Aliado decidiu a batalha a favor dos alemães.
    A 10°Divisão Panzer-SS e a 9° Divisão Panzer-SS praticamente destruiu a 1°Divisão Aerotransportada e a Brigada Polonesa. Quando o primeiro panzer atravessou à ponte de Arnhem a sorte dos britânicos e poloneses foram seladas.
    A Luta foi dura e encarniçada. A batalha acontecera entre os dias 17 e 25 de setembro de 1944, onde os Aliados perderam mais de 17.000 homens, mais do que no Dia D. O sonho de acabar com a Guerra em 1944 terminou naquilo que os autores aliados chamam de “Uma Ponte Longe Demais”

Postado por Alex Távora